Anistia pede investigação sobre massacre de talebans presos

A Anistia Internacional (AI) pediu hoje que sejam esclarecidas as mortes de centenas de prisioneiros talebans, em uma prisão-fortaleza nas proximidades da cidade de Mazar-i-Sharif, controlada pela Aliança do Norte e as forças da coalizão anglo-americana.De acordo com o grupo defensor dos direitos humanos, centenas de milicianos talebans foram assassinados na terça-feira pelas forças opositoras da Aliança do Norte e, segundo o informe da AI, a prisão afegã está cheia de "pilhas de cadáveres". A Aliança do Norte declarou que as mortes em Mazar-i-Sharif fazem parte de uma operação conjunta com as forças de coalizão contra o terrorismo, liderada pelos EUA. IraqueJá o governo do Iraque descreveu como "massacre" as mortes ocorridas na prisão afegã em poder dos EUA e da Aliança do Norte, ao mesmo tempo em que alguns clérigos do Paquistão convocaram um dia de luto pelo que descreveram como "um ato de barbárie". Em Londres, a Anistia Internacional declarou que devem ser promovidas as investigações que forem necessárias para esclarecer o grave incidente e medir "a proporção da participação das forças da Aliança do Norte, dos EUA e da Grã-Bretanha" na morte dos prisioneiros. Porta-vozes das forças opositoras ao regime taleban disseram que o incidente começou quando alguns prisioneiros talebans assassinaram vários guardas com armas que eles haviam conseguido levar para a prisão. Há indícios de que os prisioneiros estavam preparando uma rebelião geral. A Cruz Vermelha Internacional disse que visitou a prisão para avaliar a gravidade da situação, e que ainda não pode confirmar o número de mortos, mas que estes seriam centenas de pessoas.Leia o especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.