Anistia pede prisão de Bush durante visita à África

A Anistia Internacional pediu na quinta-feira aos governos de Etiópia, Tanzânia e Zâmbia que aproveitem a atual viagem do ex-presidente norte-americano George W. Bush para prendê-lo por violações dos direitos humanos.

REUTERS

01 de dezembro de 2011 | 20h34

Durante seu governo (2001-09), Bush autorizou que suspeitos de ligação com grupos militantes islâmicos fossem submetidos à "simulação de afogamento" e a outras técnicas de interrogatório que a Anistia e outros grupos de direitos humanos consideram ser uma forma de tortura.

"O direito internacional exige que não haja refúgio para os responsáveis por tortura; Etiópia, Tanzânia e Zâmbia devem aproveitar essa oportunidade para cumprir suas obrigações e acabarem com a impunidade que George W. Bush desfrutou até agora", disse o consultor jurídico Matt Pollard em nota divulgada pela Anistia.

Em fevereiro, entidades de direitos humanos disseram que Bush cancelou uma visita à Suíça por causa da ameaça de sofrer um processo judicial. Organizadores daquele evento disseram que o cancelamento se deveu a preocupações com a segurança do ex-presidente, e não à ameaça jurídica.

Bush defende o uso das técnicas agressivas de interrogatório, alegando que elas evitaram que se repetissem atentados como os de 11 de setembro de 2001.

O Departamento de Estado dos EUA não se pronunciou.

(Reportagem de Edith Honan e Greg McCune)

Tudo o que sabemos sobre:
AFRICABUSHPRISAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.