Anistia quer inspetores de direitos humanos no Iraque

A Anistia Internacional propõe que as Nações Unidas enviem inspetores de direitos humanos ao Iraque, para apurar abusos atuais ou que venham a ser cometidos num eventual pós-guerra. ?É fundamental que comecem imediatamente os preparativos para que se destaque um número suficiente de inspetores qualificados de direitos humanos?, disse em Londres a secretária-geral da entidade, Irene Khan.Segundo a anistia, as violações são ?muito graves? e a lista inclui ?homicídios, torturas, desaparecimentos, a aplicação da pena de morte e de outras punições humilhantes ou degradantes, prisões arbitrárias, processos injustos, além da supressão da liberdade de expressão e de associação?.?Entre as vítimas?, prossegue Khan, ?há oficiais suspeitos de conspirar contra o governo, opositores políticos, parentes de opositores residentes no exterior e membros de grupos políticos ou religiosos, especialmente curdos e xiitas?.O regime de Bagdá negou as acusações, dizendo que eram ?usadas para justificar um hipotético ataque armado ao Iraque?.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.