Aniversário da morte de Hariri faz milhares de libaneses irem às ruas

Milhares de libaneses se manifestaram nesta terça-feira para lembrar o aniversário de um ano do assassinato do ex-primeiro-ministro Rafik Hariri. Ele morreu com outras 22 pessoas em um atentado na Praça dos Mártires, rebatizada como Praça da Independência após o assassinato.O assassinato de Hariri levou à retirada, dois meses mais tarde, das tropas sírias do país. A Síria é suspeita ter encomendado a morte de Hariri.Centenas de tropas e policiais, reforçados por veículos armados, isolaram o centro de Beirute para fazer a segurança na capital libanesa. O governo declarou feriado escolar e o comércio foi fechado.Os manifestantes com bandeiras libanesas chegaram de todas as partes do país. Os organizadores do ato, que tem o lema "lealdade e unidade", esperam que mais de um milhão de pessoas participem da manifestação.A concentração foi convocada por Saad al-Hariri, filho de Rafik Hariri e chefe do principal bloco do Parlamento do Líbano.As investigaçõesA investigação da ONU continua e já determinou que o ato não poderia ter sido organizado sem o conhecimento da inteligência síria e aliados libaneses infiltrados nos serviços de segurança do Líbano.Os investigadores da ONU interrogaram autoridades dos serviços de segurança da Síria em Viena, incluindo o último chefe de segurança sírio no Líbano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.