Aniversário da Revolução Iraniana leva milhares às ruas

Centenas de milhares de iranianos foram ao centro de Teerã, hoje, relembrar o aniversário da Revolução Iraniana de 1979. Ao mesmo tempo, agentes de segurança se espalharam por diversos pontos da cidade, para impedir protestos da oposição contra o governo.

AE, Agencia Estado

11 de fevereiro de 2010 | 14h41

A Revolução Iraniana criou a república islâmica no país. O aniversário do evento, geralmente, é usado pelas autoridades como uma mostra de força do regime. Muitos oposicionistas, porém, ainda reclamam das últimas eleições presidenciais, realizadas em junho de 2009, que foi fraudada, segundo acusações. A disputa terminou com a reeleição do presidente Mahmoud Ahmadinejad, mas foi seguida por uma série de protestos, que ameaçaram os pilares do regime islâmico, além de dividir a liderança religiosa.

O site oposicionista Rahesabz e testemunhas afirmaram que houve confrontos entre oposicionistas e policiais na Praça Sadeghieh, aproximadamente 1 quilômetro distante da Praça Azadi, onde ocorria a manifestação oficial para comemorar a derrubada do xá Reza Pahlevi há 31 anos. O site disse que dois líderes foram atacados por policiais e seguranças com os rostos cobertos, mas ainda não havia relatos sobre feridos. Segundo o site, a polícia utilizou gás lacrimogêneo para dispersar os opositores em vários pontos de Teerã.

Os relatos não podiam ser verificados de modo independente, já que a mídia estrangeira está impedida de acompanhar os protestos nas ruas. Os confrontos, iniciados em bairros do oeste da capital iraniana, se espalharam para os subúrbios do norte, no início da tarde, segundo sites da oposição. Mais uma vez, a polícia usou gás lacrimogêneo para dispersar os manifestantes, afirmaram essas fontes. Alguns dos piores confrontos ocorreram na Praça Vanak, um distrito rico no norte de Teerã. Também houve registros de violência em Amirabad, no oeste.

A televisão estatal mostrou apenas imagens de homens, mulheres e crianças na manifestação oficial, com cartazes trazendo dizeres como "Morte à América, Morte a Israel". Um site da oposição, Rahesabz, disse que foram convocados novos protestos, ainda para esta quinta-feira. O site afirma que, além de Teerã, houve manifestações de oposicionistas em Ahvaz, no sudoeste, e em Isfahan, no centro do país. Aproximadamente 100 prisões foram feitas em Mashhad, segunda maior cidade do país, segundo os sites da oposição.

As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.