Annan chega a Beirute para discutir força multinacional

O secretário-geral da ONU, Kofi Annan, chegou na manhã desta segunda-feira em Beirute, no início de uma viagem por vários países do Oriente Médio, para discutir sobre a aplicação da resolução 1.701 do Conselho de Segurança e o posicionamento da força multinacional no sul do país.No início de sua visita ao Líbano, Annan se reunirá com o primeiro-ministro do país árabe, Fouad Siniora; com o chefe do Parlamento, Nabih Berri, que representa oficiosamente os interesses do Hezbollah; com o ministro da Defesa, Elias Murr, e o comandante do Exército, general Michel Sleiman.No entanto, não está prevista uma reunião com o presidente do país, Émile Lahoud.Suas conversas com os dirigentes libaneses serão centradas na suspensão do embargo que Israel mantém sobre o Líbano e sobre as condições de segurança na fronteira com a Síria, onde o Exército libanês já se postou.Tanto o Governo libanês como Hezbollah rejeitam a presença de tropas internacionais na fronteira com a Síria. Israel exige o posicionamento de tropas na fronteira entre Líbano e Síria para controlar o possível fornecimento de armas à milícia xiita pelo país vizinho.Annan e Siniora, que farão até três reuniões ao longo do dia, analisarão a decisão adotada pela UE na sexta-feira em Bruxelas que definiu que os países europeus se comprometam a enviar até sete mil soldados à ampliada Força Interina das Nações Unidas no Líbano (Finul).O secretário-geral da ONU, que passará esta noite em Beirute, viaja acompanhado pelo chefe das operações de manutenção da paz das Nações Unidas, Jean-Marie Ghuehenno, e pelo enviado especial da entidade para o Oriente Médio, Terje Roed Larsen.Além do Líbano, o secretário-geral da ONU deve visitar Israel, Catar, Turquia, Arábia Saudita, Egito, Jordânia e, provavelmente, Síria e o Irã, segundo fontes das Nações Unidas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.