Annan chega a Roma para conferência sobre Oriente Médio

O secretário-geral da ONU, Kofi Annan chegou nesta terça-feira em Roma para a conferência que vai reunir os principais diplomatas e oficiais num esforço de parar o confronto entre Israel e Hezbollah. Condoleezza Rice, Secretária de Estado americana, também deve se juntar ao grupo no final do dia. A reunião acontecerá nesta quarta-feira e deve durar algumas horas. "A partir da conferência de Roma nós esperamos um plano econômico para o Líbano, um pacote de ajuda e também e acima de tudo um sinal de que a situação mudou, que o mundo não vai aceitar mais um governo libanês fraco, chantageado pelo Hezbollah armado com mísseis", disse o ministro das Relações Exteriores Tzipi Livni ao jornal "Corriere della Sera". Israel está entre os participantes da conferência.Entre as questões a serem discutidas estão a possível força internacional no sul do Líbano, condições para o cessar-fogo e a ajuda humanitária para 600 mil libaneses deslocados pela ofensiva israelense.Annan disse que quer um acordo na conferência com um pacote para parar a luta entre Israel e Hezbollah, além de garantir uma paz duradoura entre os países.O secretário afirma que medidas urgentes são necessárias para conter a violência e conseguir a ajuda humanitária necessária, mas o pacote deve também incluir o cessar-fogo, o envio de forças internacionais e a libertação dos dois soldados israelenses capturados pelo Hezbollah. As Nações Unidas já mantém uma força de paz de 2 mil militares no Líbano, cuja missão é patrulhar a fronteira. A força, na região desde 1978, não tem sido eficiente em controlar a violência.Entre os países que defendem a força multinacional de paz estão o Reino Unido e Itália, que farão parte da reunião. Entre os outros países participantes estão Canadá, França, Jordânia, Líbano, Rússia, Arábia Saudita, Espanha, Estados Unidos, além da União Européia, Nações Unidas e o Banco Mundial.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.