Annan critica Israel por assassinato ?seletivo?

O secretário-geral da ONU, Kofi Annan, apelou nesta quinta-feira a Israel para suspender imediatamente sua política de assassinato seletivo de militantes palestinos, considerando-a uma violação da lei internacional. Num forte comunicado divulgado por seu porta-voz, Annan disse que a política também "contradiz o espírito, se não os termos, do acordo de cessar-fogo" mediado pelo diretor da CIA, George Tenet, em 13 de junho. Direitos humanos Desconsiderando críticas dos Estados Unidos, o primeiro-ministro israelense, Ariel Sharon, e seus assessores mais próximos disseram na terça-feira que Israel iria manter a política de perseguir e assassinar militantes palestinos suspeitos de promoverem ataques contra alvos judeus. Annan afirmou que a política "é contrária não apenas à lei internacional, em particular à lei de direitos humanos, mas também aos princípios gerais da lei". Se a prática de Israel de "assassinatos seletivos" não for suspensa, disse ele, ?isso irá agravar ainda mais a crise de confiança entre as partes e fará com que uma situação já extremamente frágil se torne ainda mais precária".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.