Annan critica israelenses e palestinos

O secretário-geral da ONU, Kofi Annan, exortou nesta terça-feira os palestinos a suspenderem atos terroristas e os israelenses a pararem de usar força excessiva e a acabarem com a "ocupação ilegal" dos territórios palestinos.Em suas mais duras declarações desde a escalada do conflito,Annan saudou a decisão dos Estados Unidos de enviarem o general da reserva Anthony Zinni à região e pediu ao primeiro-ministro israelense, Ariel Sharon, e ao líder palestino Yasser Arafat para apoiarem seus esforços pela retomada do processo de paz."Vocês ainda podem afastar seus povos do desastre", afirmou ele na abertura do Conselho de Segurança da ONU. "Hoje, mais do que nunca, vocês têm de reconhecer que segurança e solução política são indivisíveis. Uma coisa não pode existir sem a outra.""A alternativa, para os dois lados, é a continuidade doderramamento de sangue - postergando ainda mais as perspectivas do fim da ocupação e da violência", advertiu.O porta-voz da ONU, Fred Eckhard, disse acreditar ser aprimeira vez que Annan classificou a ocupação israelense deterritório palestino de "ilegal".Annan lembrou que desde que ele advertiu, há três semanas, que a situação no Oriente Médio estava "se aproximando do abismo", o número de mortos e feridos alcançou níveis "apavorantes".Desde o início do atual conflito em setembro de 2000, cerca de 1.200 palestinos já foram mortos, mais de 180 nos últimos 10 dias, e cerca de 350 israelenses perderam suas vidas, mais de 50 nos mesmos 10 dias.O secretário-geral se expressou "profundamente perturbado"com o crescente uso por parte de Israel de armamentos pesados, incluindo helicópteros de ataque, tanques e caças F-16 em áreas civis."Aos israelenses digo: vocês têm o direito de viver em paz esegurança dentro de fronteiras seguras internacionalmentereconhecidas. Mas vocês têm de pôr fim à ocupação ilegal. Mais urgente, vocês têm de parar de bombardear áreas civis, com os assassinatos, o uso desnecessário de força letal, as demolições, e a humilhação diária de palestinos comuns", afirmou."Tais ações minam gravemente a posição de Israel perante acomunidade internacional, e alimentam ainda mais as chamas do ódio, desespero e extremismo entre os palestinos", advertiu."Aos palestinos digo: vocês têm o direito inalienável de umEstado viável dentro de fronteiras seguras internacionalmente reconhecidas. Mas vocês têm de parar com todos os atos de terror e todos os atentados suicidas a bomba", aconselhou o secretário-geral."Isso está causando imensos danos à sua causa, ao enfraquecer o apoio internacional, e fazendo com que os israelenses acreditem que é a existência deles como Estado, e não a ocupação que está sendo oposta", acrescentou.O Conselho de Segurança passou então para uma reunião a portas fechadas, e alguns membros pressionavam por uma declaração oficial sobre o Oriente Médio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.