Annan diz que liberdade de imprensa deve respeitar religiões

O secretário-geral da ONU, Kofi Annan, expressando preocupação com a controvérsia provocada pela publicação de cartuns do profeta Maomé por um jornal dinamarquês, disse que a liberdade de imprensa deveria respeitar as crenças religiosas.Annan evitou fazer críticas diretas ao diário Jyllands-Posten pela publicação das charges."O secretário-geral acredita que a liberdade de imprensa deveria sempre ser exercida de forma a respeitar plenamente as crenças religiosas e os pilares de todas as religiões", afirmou a porta-voz da ONU, Stephane Dujarric."Ele também acredita na importância de se superar mal-entendidos e animosidades entre povos de diferentes crenças e tradições culturais através do diálogo pacífico e respeito mútuo".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.