Annan diz que ONU vai permanecer no Iraque

O secretário-geral das Nações Unidas, Kofi Annan, disse que a memória do alto comissário para Direitos Humanos, Sérgio Vieira de Mello, vai ajudar a "inspirar" o trabalho no Iraque e que,apesar de ter sido obrigado a retirar daquele país quase a metade dos funcionários da ONU, a missão vai continuar. "Nós vamos continuar otrabalho que ele (Vieira de Mello) começou e acho que essa é a melhor maneira de homenageá-lo. Até porque ele próprio ia querer que fossedessa forma", afirmou Annan na chegada ao Rio, onde participa do velório do alto comissário - morto na última terça-feira em Bagdá.O secretário-geral explicou que a ONU havia reaberto novos escritórios em Bagdá e que pretende retomar o trabalho de reconstruçãodo Iraque imediatamente. "Nós realmente tiramos alguns funcionários, mas as pressões continuam e claro que vamos tomar medidas mais fortes de segurança para proteger os que ficam", explicou. Annan também mandou suas condolências para a família de Vieira de Mello e para o povobrasileiro, que, segundo ele, deveria estar orgulhoso do trabalho do alto comissário.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.