ANP cogita formação de governo de união nacional

O presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas, e seu primeiro-ministro, Ismail Haniyeh, da Resistência Islâmica (Hamas), se reunirão nesta terça-feira em Gaza para, provavelmente, discutir a formação de um governo de união nacional. Abbas também deve se reunir com representantes das facções armadas para debater a possibilidade de um cessar-fogo com Israel, bem como o futuro do soldado israelense Guilad Shalit, capturado no dia 25 de junho, informou à imprensa Ghazi Hamas, porta-voz do governo palestino. Para aceitar a criação de um governo de unidade nacional com seus rivais do Fatah e outras formações, o Hamas exige que Israel liberte maisde 20 ministros do governo e deputados filiados ao Movimento. Eles foram detidos na Cisjordânia após a captura de Shalit, para "investigar sua suposta cumplicidade com os terroristas". Fontes palestinas informaram que foi libertado o ministro do Trabalho da ANP, Mohamad Barghouthi. A reunião está marcada para a noite desta terça-feira, informaram fontes do governo de Haniyeh, isolado pela comunidade internacional e porIsrael desde que assumiu suas funções, em março deste ano, o que agrava a crise econômica em Gaza e Cisjordânia. Após a captura de Shalit por comandos do Hamas, dos Comitês Populares da Resistência e do Exército Islâmico numa base militar, as forças israelenses lançaram operações no sul de Gaza pararesgatar o refém, ou pelo menos impedir que ele fosse levado aoEgito. O primeiro-ministro palestino pediu na noite de segunda-feira a libertação de dois jornalistas americanos da rede de televisão "Fox News",seqüestrados por três milicianos na Cidade de Gaza. Por enquanto, nenhuma organização palestina reivindicou o seqüestro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.