ANP confirma eleições nos territórios palestinos mesmo sem o Hamas

Grupo radical rejeita comunicado; escolha de cargos legislativos e presidente deve ocorrer até setembro

Agência Estado

16 de fevereiro de 2011 | 15h39

RAMALLAH - A Autoridade Nacional Palestina (ANP) confirmou nesta quarta-feira, 16, que as eleições nos territórios palestinos serão realizadas independentemente da participação do partido radical Hamas, segundo Yasser Abed Rabbo, auxiliar do presidente Mahmoud Abbas.

 

A declaração de Abed Rabbo indica que as eleições presidenciais e parlamentares podem acontecer apenas na Cisjordânia, já que o Hamas se recusa a permitir a realização do pleito na Faixa de Gaza, território do qual tem o controle. "Não podemos ficar reféns do Hamas e continuar sem eleições", afirmou ele.

 

O governo palestino da Cisjordânia anunciou no final de semana que a votação, adiada há tempos, vai acontecer até setembro. A medida foi vista como uma resposta aos amplos protestos contra regimes autocráticos no Oriente Médio que resultaram na queda de ditadores na Tunísia e no Egito. Houve Manifestações na Cisjordânia nas últimas semanas.

 

Histórico

 

O Hamas venceu as eleições parlamentares de 2006, mas Abbas rejeitou o gabinete depois de o grupo islamita ter tomado Gaza no ano seguinte e expulsado as forças leais à ANP.

 

O mandato de Abbas terminou há um ano, mas ele adiou a realização de novas eleições por causa dos tumultos dentro de seu partido, o Fatah, e do crescente fortalecimento do Hamas na Faixa de Gaza. Nesta semana, Abbas dissolveu o gabinete para reformá-lo e fortalecê-lo antes do pleito.

 

Integrantes do Hamas rejeitaram o comunicado de Abeb Rabbo. "Não vamos participar e não legitimaremos essas eleições", disse Fawzi Barhoum. "Não vamos reconhecer os resultados. Qualquer eleição sem Gaza e antes da reconciliação será ilegítima e inconstitucional".

 

Os esforços diplomáticos para reconciliar o Hamas e o Fatah fracassaram. Se as eleições forem realizadas apenas na Cisjordânia, podem ampliar a distância entre os dois rivais. Os palestinos querem que os dois territórios constituam seu futuro Estado, mas divisões internas são vistas como um obstáculo para este objetivo. As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.