Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

ANP e Hamas entram em choque em Gaza após seqüestros

Forças da Segurança Nacional da Autoridade Nacional Palestina (ANP) e milicianos islâmicos da Força Auxiliar do Hamas se enfrentaram a tiros nesta segunda-feira, 12, em um cruzamento do norte da Faixa de Gaza, após o seqüestro de um oficial e um policial, segundo fontes policiais.Os distúrbios ocorreram enquanto o presidente Abbas e o primeiro-ministro designado, Ismail Haniyeh, do Hamas, tentam formar um governo de união nacional entre seus respectivos movimentos para evitar uma guerra civil e conseguir que a comunidade internacional levante o embargo ao governo islâmico.A milícia islâmica, ligada ao Ministério do Interior, controlado pelo Hamas, seqüestrou um oficial e um agente da Segurança Nacional, corpo militar leal ao presidente da ANP Mahmoud Abbas, líder do movimento nacionalista Fatah.O tiroteio não deixou vítimas, acrescentaram as fontes, e por enquanto, se desconhecem os motivos da captura e o paradeiro dos dois seqüestrados.Os dois incidentes acompanham os sangrentos confrontos de domingo na localidade de Beit Hanoun, vizinha de Beit Lahia, onde milicianos do Fatah mataram Mohammed al-Kafarna, chefe do Hamas no norte da Faixa de Gaza.Nos tiroteios entre milicianos islâmicos e nacionalistas que seguiram a morte de Kafarna, 21 membros de ambos os grupos ficaram feridos, segundo fontes hospitalares.O Hamas cancelou neste domingo à noite sua participação em reunião de reconciliação com representantes do Fatah e do Egito, país que tem o papel de mediador entre as duas facções.Por sua parte, o Exército israelense, em uma batida noturna na Cisjordânia, deteve na madrugada de hoje 12 palestinos que, segundo fontes militares, eram procurados pelos organismos de segurança.PrisãoTropas israelenses prenderam um parlamentar em sua casa na Faixa de Gaza nesta segunda-feira, 12, uma semana depois que foi solto, segundo declarações de seus parentes e informações do governo.O Exército confirmou a prisão de Ahmed Mubarak, mas não deu maiores detalhes.Israel considera que o Hamas, que já anunciou que quer a destruição do Estado judeu, é um grupo terrorista. Mubarak é um dos 36 membros do grupo preso por israelenses por lançarem um ataque contra soldados de Israel em junho de 2006 Mubarak havia sido libertado no dia 12 de fevereiro.Desta vez, soldados prenderam Mubarak durante a madrugada e não permitiram nem que ele trocasse de roupa, disse sua mulher.

Agencia Estado,

12 de março de 2007 | 10h58

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.