ANP pede ajuda a árabes após Israel congelar fundos

O presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas, pediu neste domingo (9) que os países árabes forneçam ajuda financeira para que seu governo possa cobrir um déficit orçamentário mensal de US$ 100 milhões, resultado de uma ação punitiva de Israel após os palestinos conseguirem da Organização das Nações Unidas (ONU) o status de "Estado observador", no fim de novembro.

AE, Agência Estado

09 de dezembro de 2012 | 18h45

Israel interrompeu este mês a transferência de recursos tributários, que são tarifas alfandegárias recolhidas em nome dos palestinos. "Nós estamos em uma situação desesperadora agora. Nós não conseguimos pagar nossos salários. Vocês (líderes árabes) precisam oferecer essa rede de proteção. Vocês concordam? Estão comprometidos? Quanto vocês vão prometer?", disse Abbas aos delegados da Liga Árabe em uma reunião em Doha, capital do Qatar. "Nós precisamos obter sua resposta em breve", acrescentou.

A Autoridade Palestina enfrenta crescentes pressões, especialmente após o movimento Hamas, que controla a Faixa de Gaza, receber a promessa de uma grande ajuda do emir do Qatar, em outubro. Na semana passada, o primeiro-ministro palestino, Salam Fayyad, pediu que os países árabes destinem US$ 240 milhões por mês à ANP.

Desde sua criação, em 1994, a Autoridade Palestina sempre enfrentou problemas para pagar suas contas, devido às restrições impostas por Israel e também à sua própria ineficiência e corrupção. Após a manobra dos palestinos na ONU, Israel parou de transferir os impostos arrecadados e disse que vai usar esse dinheiro para pagar parte das enormes dívidas do governo palestino com entidades israelenses, especialmente a companhia de energia do país.

Apesar de não receber nenhuma promessa de ajuda dos membros da Liga Árabe neste domingo, as autoridades palestinas se mostraram encorajadas pelo plano do grupo de criar um comitê especial para ajudar a guiar as futuras negociações com Israel. As informações são da Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
PalestinaLiga ÁrabeajudaIsrael

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.