ANP pede ao Quarteto que impeça a construção de muro israelense

O Governo da Autoridade Nacional Palestina (ANP) pediu nesta segunda-feira ao Quarteto para o Oriente Médio que intervenha para impedir que Israel complete o muro de separação que constrói em boa parte da Cisjordânia.O porta-voz do Gabinete palestino, Ghazi Hamad, disse à imprensa na Cidade de Gaza, que "o governo (da ANP) enviará uma carta ao Quarteto para pedir-lhe que intervenha a fim de tentar deter a construção do muro".Hamad acrescentou que o Executivo palestino, liderado pelo grupo islâmico Hamas, fez o mesmo, "com uma carta similar enviada ao secretário-geral da ONU", Kofi Annan.A próxima cúpula do Quarteto para Oriente Médio - integrado por Estados Unidos, União Européia, Rússia e ONU - será realizada em Nova York no próximo dia 9 e nela serão analisados os resultados concretos para a reativação do processo de paz entre israelenses e palestinos.Hamad destacou que os palestinos exigem que "a comunidade internacional pressione Israel para que mude suas políticas". Além disso, criticou a comunidade internacional "por não ter tomado medidas" para impedir a construção do muro de separação israelense, "depois que o Tribunal Internacional de Haia declarou que era ilegal", em julho de 2004.O Governo israelense aprovou no domingo uma série de mudanças no traçado do muro de separação, a fim de completar o projeto e superar vários obstáculos jurídicos.Com esta decisão, Israel pretende acelerar os trabalhos de construção de um projeto que se iniciou em 2002 e cujo traçado se estende ao longo de 870 quilômetros, boa parte do qual fica no território ocupado da Cisjordânia.Outra questão que será analisada pelos integrantes do Quarteto é a deterioração da situação econômica nos territórios palestinos após o acesso ao poder do Hamas, vencedor do pleito legislativo de 25 de janeiro."Se o Quarteto seguir adiante com sua decisão de não manter contatos com o Governo palestino e de suspender seu trabalho político e humanitário, então contribuirá para a piora da crise nos territórios palestinos", ressaltou Hamad.O porta-voz do Governo palestino pediu ao Quarteto, que "sempre foi um mediador no processo de paz", para que tome a palavra e denuncie "os crimes israelenses como a construção do muro e a expansão de assentamentos".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.