Adriana Loureiro/Reuters
Adriana Loureiro/Reuters

Antes das eleições, Maduro oferece bônus de R$ 75 no Dia das Mães

Presidente da Venezuela tem concedido uma série de prêmios para compensar os salários aniquilados pela hiperinflação

O Estado de S.Paulo

09 Maio 2018 | 20h41
Atualizado 16 Maio 2018 | 14h53

Correções: 16/05/2018 | 14h53

CARACAS - O presidente da Venezuela e candidato à reeleição, Nicolás Maduro, anunciou nesta quarta-feira, 9, durante um comício no Estado de Yaracuy que entregará um bônus de 1,5 milhão de bolívares (cerca de R$ 7,50) como um presente do seu governo pelo Dia das Mães.

+++ EUA pedem a Maduro que vá ‘embora’ 

"Vamos dar um bônus às mães venezuelanas de 1,5 milhão de bolívares de presente para todas as mães e avós da Venezuela", declarou o presidente diante de milhares de pessoas em um ato de campanha para as eleições presidenciais do próximo dia 20.

+++ Produção de comida na Venezuela cai mais da metade nos últimos 10 anos

Durante o último ano, o chefe de Estado venezuelano decretou uma série de bônus por diferentes motivos ou festividades para compensar os salários dos trabalhadores e o poder aquisitivo do país, aniquilado pela hiperinflação, que segundo o Fundo Monetário Internacional (FMI) poderia fechar 2018 acima de 13.000%.

+++ Cédula para eleições na Venezuela terá 10 faces de Maduro 

A política de ajudas econômicas que vem sendo praticada por seu governo é realizada através de um cartão conhecido como "carteira da pátria", um documento que identifica os cidadãos dentro de um sistema de dados que permite ao oficialismo saber as necessidades das famílias, sua localização e os benefícios que recebe.

O instrumento de identidade abastecido por uma espécie de código de barras foi usado pelo governante Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV) para estimular a participação eleitoral, e o próprio presidente venezuelano ofereceu uma "surpresa" para os que tenham esta carteira e compareçam às urnas.

O candidato à reeleição pediu em quase todas suas aparições públicas de campanha, transmitidas pela televisão pública, que cada pessoa registrada neste sistema leve outras para votar.

Maduro chega às eleições em um dos seus momentos de maior impopularidade. Mesmo assim, é favorito para conseguir a vitória, uma vez que a principal aliança opositora Mesa da Unidade Democrática (MUD) decidiu não participar por considerar o processo "fraudulento". /EFE

Correções
16/05/2018 | 14h53

O bônus de 1,5 milhão de bolívares equivale a cerca de R$ 7,50 e não R$ 75.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.