Antes de encontrar Lula, Sarkozy visita aldeia na Guiana

O presidente francês,Nicolas Sarkozy, iniciou na segunda-feira em Camopi, nafronteira norte do Brasil, uma visita de um dia e meio à GuianaFrancesa, o Departamento de Ultramar mais pobre da França. Naterça, ele encontra o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O presidente francês escolheu essa aldeia indígena de 1.400habitantes em plena floresta amazônica para falar da lutacontra os problemas que afetam a Guiana Francesa, que tem asuperfície tão grande quanto a de Portugal, 95 por cento daqual recoberta de floresta: o garimpo clandestino de ouro. Estima-se que vivem na Guiana Francesa entre 3.000 e 8.000garimpeiros clandestinos, muitos vindos do Brasil ou do vizinhoSuriname, espalhados por mais de 500 garimpos ilegais. Além de pilhar os recursos da Guiana, os garimpeiros causamdanos às vezes irremediáveis ao meio ambiente, devido aomercúrio e às técnicas de lavagem do solo com água sob altapressão que usam maciçamente. Vestindo terno e gravata, Sarkozy atravessou o rio Canopinuma canoa para chegar à aldeia, enfeitada com bandeirastricolores, onde foi recebido pelos chefes indígenas. A cerca de 200 metros de distância, do outro lado do rio,era possível avistar um povoado brasileiro, o Vila Brasil 2,que recebe garimpeiros em busca de entretenimento. DEPOIS DE CAMOPI, KOUROU De acordo com a deputada radical de esquerda guianenseChristiane Taubira, mil toneladas de lama são atiradas nos riosguianenses por cada quilo de ouro extraído, e a cada ano sãodepositadas cinco toneladas de mercúrio no meio ambiente,provocando danos importantes para a fauna e a saúde daspopulações locais, além de outras consequências secundáriascriminosas (acertos de contas, prostituição, tráficos de todaespécie, etc) "É uma criminalidade que tem tudo para aumentar, porque acorrida do ouro não pára de se intensificar, e a crise docrédito imobiliário nos EUA vai garantir que os preços do ourocontinuem a subir", disse ela. Para Taubira, autora de um relatório sobre o assunto, "asolução passa por uma cooperação entre os governos francês,brasileiro e do Suriname", especialmente atacando as redes deabastecimento dos garimpeiros clandestinos. De acordo com o Palácio do Eliseu, Sarkozy vai tratar dessetema na terça-feira com o presidente Lula num encontro que osdois chefes de Estado terão em São Jorge do Oiapoque, outrapequena cidade na fronteira entre a Guiana Francesa e o Brasil. De acordo com Christiane Taubira, pode ser necessário criarpatrulhas comuns franco-brasileiras. Camopi está no coração de uma das zonas de garimpoclandestino mais ativas da Amazônia. Fotos aéreas feitas peloWWF mostram traços visíveis da poluição do rio Camopi naconfluência com o Oiapoque. É a primeira visita do presidente francês a um Departamentode Ultramar da França.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.