Anticastristas são presos em Cuba

O governo cubano anunciou nesta terça-feira a prisão de dezenas de pessoas acusadas de conspiração com o chefe da Oficina de Interesses dos Estados Unidos, James Cason, que, ao lado de outros diplomatas norte-americanos, teve seus movimentos limitados na ilha, segundo informou a chancelaria local. A nota oficial divulgada no noticiário nacional em todas os canais de TV de Cuba afirma que a medida é uma represália contra ?a atitude desavergonhada do chefe da missão diplomática? norte-americana, James Cason. ?Várias pessoas vinculadas às atividades conspiratórias apoiadas por Carson foram presas e serão submetidas aos tribunais de justiça?, diz a nota.Cason expressou publicamente sua simpatia pelos opositores e os convidou para reuniões em sua casa. Segundo as autoridades, ele financia e orienta esses dissidentes para desprestigiar a revolução. Desde que chegou a Havana, há seis meses, Carson tem criticado o governo do presidente Fidel Castro e intensificado seu apoio aos dissidentes anticastristas. O comunicado diz ainda que nenhum país por poderoso que seja tem o direito de organizar, financiar e servir de quartel-general ?para subverter a ordem constitucional e violar as leis, conspirando e ameaçando a segurança e a independência de outro país.? Para terminar, o nota reitera que Cuba ?aprecia as relações com o povo dos Estados Unidos e continuará lutando por elas?.Segundo o presidente da Comissão Cubana de Direitos Humanos e Reconciliação Nacional, Elizardo Sánchez, essa é a pior onda de repressão política dos últimos anos e foi decidida pelo alto escalão do governo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.