Antigo líder separatista do sul da Tailândia é assassinado

Além dele, um funcionário da administração também foi morto; mulher e filho do líder estão feridos

Efe,

12 de março de 2008 | 04h53

O antigo líder do movimento separatista islâmico do sul da Tailândia Yalee Mana e um funcionário da administração local foram assassinados por insurgentes em ataques cometidos nas últimas 24 horas, indicaram nesta quarta-feira, 12, fontes policiais. Veja tambémTailandeses muçulmanos protestam contra charge de Maomé  Mana foi morto na província de Pattani, quando conduzia sua motocicleta acompanhado por sua mulher e filho, que ficaram gravemente feridos. A Polícia assinalou que encontrou dez cápsulas de bala nas cercanias do local onde aconteceu o ataque, e indicou que o crime pode ter sido motivado por vingança. Mana, um dos líderes da Organização para a Libertação de Pattani, aceitou há cerca de seis anos a anistia oferecida pelo Governo e, desde então, mantinha boa relação com a Polícia. Na mesma província, os rebeldes separatistas mataram a tiros um funcionário da administração local. Os ataques com armas leves, assassinatos e atentados com bomba acontecem quase todos os dias em Narathiwat, Pattani e Yala, províncias onde os muçulmanos são maioria, ao contrário do restante da Tailândia. O Governo admitiu pela primeira vez este ano a existência de vínculos entre os insurgentes e a rede terrorista Al Qaeda, e assegurou que o conflito piorou desde que os separatistas passaram a receber armas e dinheiro do narcotráfico.

Tudo o que sabemos sobre:
Tailândiaassassinato

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.