Anunciada a possível descoberta da 'partícula de Deus'

Cientistas do Centro Europeu de Pesquisas Nucleares (Cern) anunciaram nesta quarta-feira que foi descoberta uma nova partícula subatômica, descrevendo-a como "consistente" com o chamado Bosón de Higgs, popularmente conhecido como "partícula de Deus", que ajudaria a explicar o que dá tamanho e forma para todas a matéria do Universo.

AE, Agência Estado

04 de julho de 2012 | 08h55

"Nós encontramos o pilar que faltava na física de partículas", disse Rolf Heuer, diretor do Cern. Ele afirmou que a nova partícula é um bosón, mas não confirmou totalmente que seja o de Higgs. "Do meu ponto de vista leigo, eu acho que conseguimos", disse ele para uma plateia de cientistas. "Nós fizemos uma descoberta. Observamos uma partícula que é consistente com o bosón de Higgs."

O Bosón de Higgs, que até agora existia só na teoria, é visto como a chave para se entender por que a matéria tem massa, que combina-se com a gravidade para dar peso a um objeto. O acelerador de átomos do Cern, o Grande Colisor de Hádrons (LHC, na sigla em inglês), construído a um custo de $ 10 bilhões, vinha criando colisões de prótons para investigar a matéria escura, antimatéria e a criação do Universo.

Duas equipes independentes do Cern disseram nesta quarta-feira que observaram a nova partícula subatômica. O anuncio foi aplaudido de pé no auditório lotado do Cern. "Esse bosón é algo muito profundo que descobrimos. Estamos alcançando a estrutura do Universo de uma forma nunca antes conseguida", disse Joe Incandela, líder de uma das equipes. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
CiênciaBoson de HiggsCern

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.