Anunciada morte de assessor do líder da Al Qaeda no Iraque

O conselheiro de Segurança nacional iraquiano, Mouwafak al-Rubaie, anunciou nesta quarta-feira a morte de um importante ajudante de Abu Ayub al-Masri, líder da Al Qaeda no Iraque. Ainda nesta quarta-feira, dois ataques em Bagdá deixaram 12 mortos e 48 feridos. Rubaie afirmou em entrevista coletiva em Bagdá que Abu Taha, segundo assessor do atual líder da Al Qaeda no Iraque, morreu durante uma operação de forças iraquianas e americanas realizada hápoucos dias no país. O funcionário iraquiano, que não especificou a data nem o local da morte de Taha, também não esclareceu a função do terrorista, suas responsabilidades ou cargo. Em 25 de setembro, o Ministério da Defesa do Reino Unido anunciou que o primeiro ajudante de Masri, identificado como Omar al-Farouk, tinha morrido durante uma batida de tropas britânicas em Basra, 550 quilômetros ao sul de Bagdá. Rubaie acrescentou que as Forças de Segurança iraquianas, apoiadas pelos americanos, "detiveram e mataram a maioria dos dirigentes" da organização da Al Qaeda. "A Al Qaeda sofre agora em seus movimentos e operações terroristas", assegurou o conselheiro de segurança nacional. Rubaie anunciou também que a maioria dos membros do grupo Ansar al-Sunna, ligado à Al Qaeda, também foi capturada em várias ações das tropas americanas no Iraque. O conselheiro iraquiano, no entanto, destacou que o líder da Ansaral-Sunna ainda dirige o grupo do território sírio. Farouk, de nacionalidade kuwatiana, escapou no ano passado de umaprisão americana no Afeganistão. Ataques em Bagdá Pelo menos 12 pessoas morreram nesta quarta-feira e 48 ficaram feridas em dois ataques em Bagdá, um com bombas e outro cometido por um suicida, segundo fontes policiais iraquianas. As fontes disseram que pelo menos oito iraquianos morreram e 40 ficaram feridos em um ataque com bombas em um mercado num bairro do centro de Bagdá. Nesse ataque, várias bombas explodiram perto de um edifício que tinha pertencido à Prefeitura de Bagdá e em outras áreas do mercado, localizado em uma praça do bairro, danificando vários veículos. No bairro xiita Cidade de Sadr, no leste de Bagdá, um suicida detonou um cinto de explosivos que levava preso a seu corpo dentro de um microônibus e causou a morte de quatro dos passageiros e feriu outros oito, segundo as fontes. O suicida, que estava sentado entre os passageiros ativou a carga explosiva quando o microônibus passava perto de uma delegacia. Os novos ataques desta quarta-feira ocorreram um dia depois de a violência sectária deixar mais de cem vítimas em diferentes pontos do Iraque.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.