Anúncio de Obama sobre imigração será feito na quinta-feira

Anúncio de Obama sobre imigração será feito na quinta-feira

Casa Branca divulga vídeo em que americano diz que divulgará as medidas que tomará para melhorar o sistema imigratório 'falido'

Cláudia Trevisan, correspondente / Washington, O Estado de S. Paulo

19 de novembro de 2014 | 11h21

(Atualizada às 18h40) WASHINGTON - Em uma decisão que o colocará em rota de colisão com a oposição republicana, o presidente Barack Obama anunciará na quinta-feira mudanças por decreto no sistema de imigração do país que devem beneficiar pelo menos 3,5 milhões dos 12 milhões de imigrantes que vivem de maneira ilegal nos Estados Unidos.

As decisões serão divulgadas em pronunciamento de Obama na Casa Branca às 20h (23h horário de Brasília), um gesto solene reservado para medidas de impacto. O Senado aprovou um projeto de reforma migratória em meados de 2013, mas a proposta não avançou na Câmara dos Representantes, controlada pelos republicanos.

A perspectiva de aprovação do projeto a partir de 2015 se reduziu com a vitória dos republicanos nas eleições de meio de mandato, que darão ao partido o controle das duas Casas do Congresso.

Desde que Obama chegou ao poder, em 2009, o governo americano deportou 2 milhões de imigrantes, mais do que o registrado em qualquer administração anterior. O endurecimento com os ilegais era parte de uma estratégia para atender demandas dos republicanos, na esperança de que eles apoiariam mudanças de longo prazo no sistema migratório, mas isso não ocorreu.

O presidente evitou adotar as medidas por decreto antes das eleições de meio de mandato, no dia 4 de novembro, por pressão de candidatos democratas, que temiam ser prejudicados na disputa com adversários conservadores. Com o fim do período eleitoral e a vitória dos republicanos, Obama se viu livre para agir e usar sua autoridade executiva para implantar as mudanças.

O decreto deve suspender a deportação de imigrantes sem documentos em certas circunstâncias. Entre os prováveis beneficiados estão pessoas que entraram nos Estados Unidos quando eram criança e os pais de cidadãos americanos.

“Todo mundo concorda que nosso sistema de imigração está quebrado. Infelizmente, Washington permitiu que esse problema se degenerasse por muito tempo”, disse Obama em vídeo no qual anunciou que apresentará a reforma migratória. “E portanto, eu vou apresentar as coisas que eu posso fazer com minha autoridade legal de presidente para fazer com que o sistema funcione melhor, ainda que eu continue a trabalhar com o Congresso para encorajá-lo a encontrar um projeto bipartidário amplo que possa resolver todo o problema.”

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.