Ao admitir derrota, Romney diz que rezará por Obama

Desanimados e sob frio intenso, republicanos reuném-se em Boston no fim da campanha; país vive 'momento crítico', alerta vencido

THALITA DIAS , ESPECIAL PARA O ESTADO / BOSTON , O Estado de S.Paulo

08 de novembro de 2012 | 02h07

Quando Mitt Romney subiu ao palco do Centro de Convenções de Boston para discursar após ter confirmada sua derrota na disputa presidencial, na madrugada de ontem, a plateia de republicanos que compareceu ao local já aparentava bastante cansaço e impaciência. Visivelmente emocionado, ele parabenizou Barack Obama pela vitória.

Romney expressou gratidão a seu vice, Paul Ryan, parentes e partidários. O candidato derrotado afirmou que os EUA passam por "um momento crítico" e defendeu uma maior união entre democratas e republicanos. "Eu gostaria liderar o país para uma direção diferente, mas a nação escolheu outro líder. Assim, Ann (sua mulher) e eu nos juntamos a vocês para orar fervorosamente por ele (Obama) e essa grande nação", disse, no fim do breve discurso.

Do lado de fora, a movimentação de convidados deixando o evento já era intensa desde as 22 horas. "Sei que ir para casa agora não parece muito animador, mas estamos prontos para celebrar com Romney. Só estamos indo embora porque está muito frio", disse uma convidada que deixava o local horas antes do discurso de reconhecimento da derrota.

O vendedor de broches Tim Engelskirehnig, que veio da Carolina do Norte esperando encontrar uma grande multidão de partidários, afirmou: "Isso parece mais um velório. Não entendo porque todos estão tão desanimados".

Foi só a perto da meia-noite que começaram os comentários sobre o reconhecimento da derrota pelo republicano. "Espero que os EUA sobrevivam aos próximos quatro anos", disse m membro do comitê financeiro da campanha de Romney que deixava o local antes do discurso. Outros convidados afirmavam estar chocados com os resultados das urnas.

Apesar das expressões de decepção, o clima no fim do evento não era muito diferente do que se via durante do lado de fora do Centro de Convenções de Boston. Mais cedo, os convidados circulavam afirmando ter certeza da vitória, mas sem expressões de euforia.

Democratas. No centro de Boston o cenário era de mais animação, mas a torcida não era para o candidato republicano. Um grande grupo de partidários de Obama enfrentou a madrugada fria para assistir ao discurso de vitória do presidente reeleito. Nos bares e restaurantes, os democratas celebravam a reeleição.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.