AFP PHOTO / AHMED DEEP
AFP PHOTO / AHMED DEEP

Ao menos 22 vítimas do ataque na Turquia eram menores de 14 anos

ONU e governo americano condenaram o atentado, e Washington ofereceu ajuda a Ancara para combater o terrorismo; presidente turco acredita que ação foi orquestrada pelo grupo Estado Islâmico

O Estado de S.Paulo

22 Agosto 2016 | 09h01

ANCARA - Ao menos 22 das vítimas de um ataque suicida a bomba, realizado em uma festa de casamento na cidade turca de Gaziantep no fim de semana, tinham menos de 14 anos de idade, disse nesta segunda-feira, 22, uma autoridade do governo.

Uma criança com idade entre 12 e 14 anos se explodiu, matando ao menos 53 pessoas, afirmou o presidente Recep Tayyip Erdogan no domingo, acrescentando que evidências iniciais sugerem que o ato foi orquestrado pelo grupo jihadista Estado Islâmico (EI). Ele disse que o número de mortos não inclui o autor do ataque.

Autoridades informaram que um colete de explosivos foi encontrado no local do ataque mais mortal entre uma série de atos realizados na Turquia ao longo deste ano.

Também nesta segunda-feira, o ministro do Exterior turco, Mevlut Cavusoglu, disse que a região da fronteira da Turquia com a Síria deve ser "completamente limpa" do EI, e que Ancara continua a apoiar operações na luta contra os jihadistas.

Rebeldes sírios preparam um ataque para tomar dos extremistas a cidade síria de Jarablus, na região fronteiriça, informou um rebelde sênior, em uma ação que pode frustrar as esperanças curdas de expansão na área.

Cavusoglu deu entrevista coletiva após conversar com o chanceler da Lituânia, Linas Linkevicius.

Reações. O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, e o governo americano condenaram no domingo o atentado suicida, e Washington ofereceu a Ancara ajuda para combater "o flagelo do terrorismo".

De acordo com o gabinete de Ban, "o secretário-geral condena o atentado terrorista de ontem (sábado) em uma festa de casamento na cidade de Gaziantep, na Turquia". A nota diz ainda que ele oferece suas "condolências às famílias das vítimas, ao governo e ao povo da Turquia".

"Os Estados Unidos condenam firmemente o ataque atroz", disse o porta-voz do Departamento de Estado americano, Mark Toner, em um comunicado.

Já o porta-voz do Conselho de Segurança Nacional da Casa Branca, Ned Price, declarou que o país está “em estreito contato com as autoridades turcas, e o vice-presidente (Joe) Biden visitará Ancara na quarta-feira, 24 de agosto, para reafirmar o compromisso de trabalhar com a Turquia, apreciado aliado e sócio da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte), para enfrentar o flagelo do terrorismo". / Reuters e AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.