Ao menos 33 pessoas morrem em confrontos no Iêmen; drone dos EUA mata 7

Pelo menos 33 pessoas foram mortas na região central do Iêmen durante combates nos últimos dois dias entre guerrilheiros xiitas houthi que tentam expandir seu controle e tribos sunitas aliadas da Al Qaeda, disseram residentes nesta quarta-feira.

REUTERS

12 de novembro de 2014 | 10h44

Separadamente, um drone dos EUA matou sete supostos militantes da Al Qaeda no sul do Iêmen, pouco antes de eles realizaram um ataque, disseram fontes militares iemenitas.

A expansão dos houthis, que vivem principalmente no norte do país, tem inquietado tribos sunitas na província central de al-Bayda, ameaçando provocar um conflito sectário.

Residentes da região relataram intensas lutas na área de Qifa, bastião de poderosas tribos sunitas que buscaram aliança com a unidade local da Al Qaeda, a Ansar al-Sharia, para impedir o avanço dos houthi. 

Na cidade de Radda, na mesma província, que passou para as mãos dos houthis neste mês, um carro-bomba que aparentemente tinha como alvo um líder tribal aliado dos houthis foi explodido sem deixar vítimas antes de alcançar seu destino, segundo residentes. 

O Iêmen, aliado dos Estados Unidos, faz fronteira com a Arábia Saudita e tem passado por instabilidade política desde que protestos em massa forçaram a saída de seu antigo presidente, Ali Abdullah Saleh, em 2011.

Mais conteúdo sobre:
IEMENMORTOSDRONE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.