Ao menos 367 mortos após terremoto no sudoeste da China

Um terremoto de magnitude 6.3 atingiu o sudoeste da China neste domingo, matando pelo menos 367 pessoas e deixando 1.881 feridos em uma região remota da província de Yunnan, e levando ao colapso milhares de edifícios, incluindo uma escola. 

REUTERS

03 de agosto de 2014 | 17h09

O Serviço de Pesquisa Geológica dos Estados Unidos disse que o tremor foi registrado em profundidade rasa de menos de uma milha (1,6 km). A imprensa estatal chinesa disse que ele foi sentido mais fortemente em Yunnan, mas também nas províncias vizinhas de Guizhou e Sichuan. 

A agência de notícias oficial Xinhua disse que o epicentro foi na cidade de Longtoushan, na região montanhosa de Yunnan, condado de Ludian. 

Muitas pessoas deixaram rapidamente seus prédios e foram para as ruas quando o tremor começou, o fornecimento de energia foi cortado e pelo menos uma escola foi destruída, acrescentou a Xinhua. Mais de 12 mil casas foram destruídas, e 30 mil tiveram danos estruturais. 

A moradora de Ludian Ma Liya disse à Xinhua que as ruas pareciam "um campo de batalha após um bombardeio".

Essa região da China é frequentemente afetada por terremotos. Um deles vitimou mais de 1.400 pessoas na mesma região de Yunnan em 1974. 

Um terremoto em Sichuan em 2008 matou mais de 70 mil pessoas.  (Reportagem de Ben Blanchard)

Tudo o que sabemos sobre:
CHINATERREMOTOMORTES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.