Ao menos 45 jihadistas do EI morreram em bombardeios em Kobani

Ao menos 45 jihadistas do EI morreram em bombardeios em Kobani

Ataques foram realizados pela coalizão internacional após grupo entrar na cidade síria pelos lados leste e sudeste

O Estado de S. Paulo

08 de outubro de 2014 | 10h50

BEIRUTE - Pelo menos 45 jihadistas do Estado Islâmico (EI) morreram nos últimos dois dias pelos bombardeios da coalizão internacional, liderada pelos Estados Unidos, na cidade curda de Kobani, no norte da Síria e próxima da fronteira com a Turquia, informou nesta quarta-feira, 8, o Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH).

Segundo a ONG, a aliança multinacional intensificou desde segunda-feira os ataques contra o EI na região, onde teve como alvo 20 concentrações de combatentes jihadistas e destruiu cinco veículos blindados.

O EI vem tentando tomar Kobani há três semanas e essa semana conseguiu entrar na cidade pelos lados leste e sudeste.

Como os bombardeios contra extremistas aumentaram, os integrantes do EI foram obrigados a recuar. Em solo, os jihadistas enfrentaram as Unidades de Proteção do Povo Curdo (YPG, sigla em língua curda), no leste e sul de Kobani.

Os curdos, no entanto, se queixam da menor quantidade de meios para enfrentarem os jihadistas, que utilizam armas pesadas e carros de combate.

O Observatório Sírio de Direitos Humanos lembrou que os radicais também tem carros do tipo "Humvee", de fabricação americana, que foram tomados do Exército iraquiano.

Em junho, o EI proclamou um califado no Iraque e Síria, ao conquistar as regiões norte e central destes países. / EFE

Tudo o que sabemos sobre:
Estado IslâmicoSíriaKobaniTurquia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.