Ao menos 7 morrem pisoteados em manifestação contra governo do Paquistão

Pelo menos sete pessoas morreram pisoteadas e 42 ficaram feridas em um tumulto durante uma manifestação contra o governo na cidade paquistanesa de Multan, nesta sexta-feira, informou uma autoridade hospitalar.

REUTERS

10 de outubro de 2014 | 16h54

O Paquistão vive uma crise desde agosto, quando manifestantes liderados por Imran Khan, ex-astro do críquete, e Tahir ul-Qadri, um clérigo, chegaram à capital e ocuparam uma área de edifícios governamentais e embaixadas estrangeiras.

Os protestos diminuíram desde então, mas na noite desta sexta-feira ocorreu um tumulto e pessoas foram pisoteadas enquanto tentavam se retirar de um discurso de Khan em Multan.

“Sete corpos foram retirados, e 42 pessoas se feriram devido à correria durante um comício do PTI”, disse Parvez Haider, diretor de emergências do Hospital Nistar, referindo-se ao partido Movimento Paquistanês por Justiça de Imran Khan.

As manifestações persistentes se tornaram um constrangimento para o primeiro-ministro Nawaz Sharif em uma nação com um histórico de golpes de Estado, e pessoas do gabinete do premiê acusam o poderoso Exército de instigar o movimento como forma de enfraquecer Sharif.

Os líderes dos protestos, por sua vez, acusam Sharif de fraudar a eleição do ano passado que o levou de volta ao poder com uma grande votação. O premiê nega a acusação.

Os confrontos se tornaram violentos no mês passado, quando milhares de pessoas tentaram invadir a residência de Sharif na capital Islamabad e ocuparam a televisão estatal, que tiraram brevemente de ar.

(Por Amjad Ali)

Tudo o que sabemos sobre:
PAQUISTAOPROTESTOMORTOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.