Stringer/Reuters
Stringer/Reuters

Ao menos 7 presos são decapitados em rebelião em presídio na Guatemala

Penitenciária em Cantel abriga 2.252 pessoas, equivalente a 200% da capacidade

Redação, O Estado de S.Paulo

19 de maio de 2021 | 23h36

CIDADE DA GUATEMALA - Ao menos sete detentos foram decapitados nesta quarta-feira, 19 durante uma rebelião em uma penitenciária no oeste da Guatemala.

O massacre ocorreu por volta das 16h (horário local, 19h no Brasil) no município de Cantel, no departamento de Quetzaltenango, a cerca de 200 quilômetros a oeste da Cidade da Guatemala.

O motim ocorreu em um dos pátios da prisão, onde 2.252 detentos vivem em condições de superlotação, com mais de 200% da capacidade. Fontes da polícia confirmaram sete mortes à Agência Efe, embora a mídia local tenha divulgado que vários outros detentos decapitados podem ter sido identificados.

O Escritório de Prevenção da Tortura da Guatemala condenou a violência na penitenciária de Cantel e pediu para as autoridades assumirem o controle do espaço com urgência.

O Ministério Público e o Ministério do Interior, que está a cargo do sistema penitenciário, não forneceram informações oficiais sobre o que aconteceu.

No último domingo, as autoridades relataram outro ataque armado em uma prisão na Cidade da Guatemala, que deixou um preso morto e um ferido. A vítima do ataque foi identificada como Gustavo Andretti Yordany Orozco Reyes, irmão do traficante Jorge Mario Moreira Reyes, conhecido como 'El Marino'.

De acordo com informações oficiais, nas 21 prisões ligadas ao Sistema Penitenciário existem 25.122 pessoas detidas, com uma estimativa de 52% dos detentos cumprindo penas e 48% em prisão provisória, além de uma superlotação de mais de 370%, segundo especialistas. /EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.