Ao menos sete morrem em série de ataques de islamistas radicais no Egito

Províncias de Suez e Sinai foram alvo de atentados após confrontos entre polícia e Irmandade

O Estado de S. Paulo,

07 de outubro de 2013 | 07h44

CAIRO  - Pelo menos sete policiais e soldados morreram nesta segunda-feira, 7, em dois ataques atribuídos a radicais islâmicos nas províncias de Ismailiya e Norte do Sinai, nonordeste do Egito. Os atentados ocorreram um dia depois de novos confrontos entre a polícia egípcia e partidários do presidente deposto Mohamed Morsi, da Irmandade Muçulmana, que deixaram 54 mortos.

 

Três soldados e dois policiais morreram em um ataque armado na cidade de Abu Zuer, na província de Ismailiya, junto ao Canal de Suez. O outro ataque aconteceu na cidade de Al-Arish, capital do Norte do Sinai, onde dois militares perderam a vida após a explosão de um carro-bomba na sede da Direção da Segurança Central da província.

Já no Cairo, granadas propelidas por foguetes foram lançadas contra antenas de comunicação por satélite, danificando uma, disseram autoridades de segurança. As fontes afirmaram que um dos foguetes deixou uma buraco de 25 centímetros em uma antena usada para chamadas telefônicas internacionais. / AP e EFE

Tudo o que sabemos sobre:
Golpe no Egito

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.