Ao menos um soldado ucraniano morre em ataque de separatistas

Outros oito soldados ficaram feridos quando morteiros foram arremessados contra um posto de controle na fronteira com a Rússia

O Estado de S. Paulo

02 Julho 2014 | 09h47

KIEV - Pelo menos um soldado do Exército ucraniano morreu nesta quarta-feira, 2, e outros oito ficaram feridos em um ataque de separatistas pró-Rússia na fronteira entre os dois países, informou a Guarda Fronteiriça da Ucrânia (GFU).

De acordo com o boletim da GFU, cerca de 20 morteiros foram detonados nesta madrugada sobre o posto ucraniano de Novoazovsk, perto da fronteira com a região russa de Rostov. "Como resultado do bombardeio, um militar morreu e outros quatro ficaram feridos". No mesmo ataque, quatro guardas fronteiriços ficaram feridos quando se aproximaram do posto mencionado.

Na quinta-feira, o governo ucraniano apresentará um projeto de lei ao Parlamento para uma possível declaração de estado de emergência "no mercado de energia", disse o primeiro-ministro Arseni Yatseniuk nesta quarta.

Não está claro o que a medida pode abranger e o impacto que teria no setor de energia. "Espero que a coalizão (no Parlamento) apoie os projetos de lei que estão na agenda. Nós estamos conversando, em primeiro lugar, sobre a possível declaração de um estado de emergência", disse o premiê em um pronunciamento.

Na terça-feira, o presidente da Ucrânia, Petro Poroshenko, declarou encerrado o cessar-fogo unilateral vigente desde 20 de junho e retomou a ofensiva militar contra vários enclaves controlados pelos separatistas no leste do país. "Uma extraordinária oportunidade para dar vida ao plano de paz foi desperdiçada", disse o líder ucraniano em mensagem à nação.

Poroshenko justificou sua decisão com base nas "ações criminosas" dos separatistas, que, segundo ele, "declararam publicamente sua vontade de não cumprir o plano de paz em geral e, em particular, o cessar-fogo". / EFE e REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.