Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Ao reconhecer derrota, McCain promete ajudar Obama

O republicano John McCain parabenizou o democrata Barack Obama pela vitória na eleição presidencial norte-americana na terça- feira, afirmando que "o povo americano falou", e prometeu ajudar seu antigo rival a lidar com os principais desafios do país. McCain falou a simpatizantes em um discurso emocionado num hotel de Phoenix após ligar para Obama e reconhecer a derrota. Mais tarde, o democrata disse que a conversa telefônica com McCain foi "extremamente graciosa". "Chegamos ao final de uma grande jornada. O povo americano falou, e falou claramente", disse McCain. "O senador Obama conseguiu algo extraordinário para si próprio e para o país. Eu o aplaudo por isso." O senador pelo Arizona, de 72 anos, fez um apelo para que todos os norte-americanos -- inclusive seus simpatizantes -- apóiem Obama. McCain acrescentou que planeja ajudar o presidente eleito a lidar com as diversas questões enfrentadas pelos EUA. "É natural, nessa noite, sentirmos alguma frustração. Mas amanhã, temos de deixar isso para trás e trabalharmos juntos para fazer nosso país andar novamente", disse McCain a simpatizantes, interrompendo a fala e pedindo "por favor" para que a platéia parasse de vaiar a cada menção que fazia a Obama. Muitos partidários de McCain disseram esperar que Obama elevasse os impostos e expusesse o país a um ataque terrorista. "Até onde eu sei, Obama vai tirar todos os meus direitos e a minha liberdade", disse a estudante universitária Kristen Keogh. Muitos integrantes da platéia que acompanharam o discurso de McCain disseram que os eleitores foram seduzidos pelo discurso de mudança de Obama e não consideraram um candidato que, segundo eles, tem longo histórico de independência. "As pessoas foram capturadas pelo carisma, elas foram pegas por um ideal oposto à realidade", disse a pedicure Tanya Pfitzer. (Reportagem adicional de Andy Sullivan e Steve Holland)

JEFF MASON E ANDY SULLIVAN, REUTERS

05 de novembro de 2008 | 07h26

Tudo o que sabemos sobre:
EUAELEICAOMCCAIN*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.