Ao redor de abadia, centenas esperam o casamento real

Britânicos já lotam região por onde o príncipe William e Kate Middleton passarão

Agência Estado

28 de abril de 2011 | 20h01

Casamento real no Estadão.com.br

 

Grupo espera ver novo casal real de perto.

 

LONDRES - Centenas de pessoas estão acampadas nos arredores da abadia de Westminster à espera do casamento real entre o príncipe William e Kate Middleton. A cerimônia de amanhã foi planejada como uma operação militar, e na verdade é. Cada passo da cerimônia foi minuciosamente ensaiado, cada flor meticulosamente colocada no corredor da igreja, transformada numa via cheia de árvores floridas.

 

Informações direto de Londres, com Flávia Tavares:

linkImprensa vira personagem

linkCom jornais gratuitos e tabloides, casamento está em toda parte

linkOrganização invejável e horários estranhos

linkClima de festa, admiração e desprezo pela família real

 

Os obstinados fãs se acomodam em barracas e sacos de dormir nas proximidades da abadia, de 1.000 anos. Entre eles está India Marlow-Prince, londrina de 17 anos, que fazia um piquenique com amigos. "Ela é a Diana de nossa geração. E Will é um lindo", disse ela. "Estamos um pouco bravas com ela por tê-lo agarrado, mas ainda existe o Harry."

Quando Kate Middleton e o padrinho, príncipe Harry, fizerem a passagem final no interior da abadia onde ela vai se casar, uma crescente multidão de turistas curiosos, monarquistas dedicados, vendedores de suvenires e pessoas que querem ver a família real transformarão as ruas ao redor da igreja numa cena de caos festivo.

As únicas nuvens no horizonte são a ameaça da chuva e a intromissão da polícia, já que o governo britânico decidiu anular o convite feito ao embaixador da Síria por condenar a repressão do governo contra manifestantes, que deixou centenas de mortos.

Para a segurança do casamento foram convocados mais de 1.500 soldados, marinheiros e integrantes da Aeronáutica para o trabalho cerimonial pela rota por onde o casal vai passar entre a abadia e o palácio de Buckingham, que ficam a 1,6 quilômetro de distância um do outro. Outros 5 mil policiais uniformizados e à paisana ficarão atentos para potenciais ameaças de dissidentes irlandeses, extremistas muçulmanos, antimonarquistas, pessoas com obsessão pela família real e hooligans bêbados.

A cerimônia do casamento real vai oferecer pompa e circunstância em grade escala, começando com uma lista de convidados com 1.900 pessoas de todo o mundo, que inclui reis e rainhas, astros do esporte e da música, amigos da universidade, pilotos da Força Aérea Real e funcionários de entidades de caridade, além de amigos e familiares.

 

Curiosidades do Casamento Real:

linkAlguns números e estatísticas da união real

linkFrenesi pelo casamento real

linkUm casamento com bom humor

linkUm casamento real inusitado

 

Centenas de milhares de pessoas são esperadas na rota por onde os noivos vão passar. A própria abadia de Westminster foi remodelada para parecer uma floresta em flor, com árvores alinhadas no corredor que leva até o altar. Funcionários reais disseram que William e Kate estiveram intimamente envolvidos no planejamento do dia do casamento.

Há muito em jogo para a família real, que espera que este casamento fortaleça a dinastia Windsor e suavize as lembranças de uma série de casamentos reais fracassados, entre eles os de Charles e Diana, do príncipe Andrew e Sarah Ferguson e da princesa Anne e Mark Phillips.

Apesar de saber como terminou o conto de fadas de Charles e Diana, encerrado em 1996 em divórcio em meio a embaraçosas admissões de adultério de ambos os lados, a maioria dos britânicos vê com boa vontade o enlace de William e com sua noiva Kate.

O governo britânico também espera que o casamento eleve o ânimo do povo durante um período de duras medidas de austeridade. O governo conservador está fazendo um corte de 81 bilhões de libras (US$ 135 bilhões) em gastos até 2015, eliminando centenas de milhares de empregos públicos e elevando o valor da educação superior.

O vestido é o segredo mais bem guardado do evento. O nome do ou da estilista que desenhou a roupa não foi confirmado e centenas de milhares de espectadores televisivos o verão pela primeira vez quando Kate sair do Rolls-Royce na abadia. Seu futuro marido o verá alguns minutos mais tarde, quando ela entrar na igreja.

Após a cerimônia da manhã de amanhã, o casal irá até o palácio de Buckingham e aparecerá no balcão para um beijo precisamente cronometrado: às 13h25 (horário local, ou 10h25 em Brasília), seguido pela passagem de aviões militares.

Depois disso, a festa começa. Cerca de 650 pessoas foram convidadas para um almoço no palácio de Buckingham com a rainha. Mais tarde, à noite, 300 amigos e familiares mais próximos participarão de uma festa black-tie.

O palácio informou que a rainha Elizabeth e seu marido, o príncipe Philip, pretendem sair à noite e deixar a realeza mais jovem comemorar. Harry deve fazer seu discurso de padrinho de casamento longe dos ouvidos de seus avós octogenários.

A cantora britânica Ellie Goulding, de 24 anos, vai se apresentar e há rumores de que Harry até planejou um café da manhã para os que tiverem vigor para dançar a noite toda.

Centenas de milhares de pessoas vão comemorar o casamento em todo o país, já que o dia foi declarado feriado. Mais de 5.500 festas oficiais de rua estão programadas, incluindo uma do grupo antimonarquista Republic e outra em Downing Street, onde mora o primeiro-ministro David Cameron. Cameron disse à CBS que o casamento trará "felicidade, alegria e luz após tempos difíceis".

Mas se os ânimos para o casamento estão se aquecendo, o clima em Londres esfriou. Os fãs do casamento real podem ter de carregar guarda-chuvas extras. A meteorologia prevê céu nublado amanhã, com 30% de chance de chover no horário da cerimônia. O sol pode aparecer durante a manhã e a temperatura pode subir até 19ºC. As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.