Jorge Silva/Reuters
Jorge Silva/Reuters

Apagão deixa metade dos Estados da Venezuela sem energia elétrica

Autoridades do setor dizem que falha nas linhas de transmissão foi causa do blecaute no país

O Estado de S. Paulo,

03 Setembro 2013 | 16h42

CARACAS - Um blecaute de grandes proporções deixou sem luz nesta terça-feira, 3, a metade dos 24 Estados da Venezuela. A razão apontada pelas autoridades que regulam o setor foi uma falha nas linhas de transmissão que abastecem as regiões ocidental e central do país latino-americano. A falha generalizada prejudicou centenas de milhares de venezuelanos, mas, segundo o governo, não afetou a indústria petroleira.

O caos se instaurou em grande parte da capital, Caracas, e nas principais cidades do país, onde serviços de metrô e trens foram suspensos em razão da falta de energia, enquanto as refinarias funcionavam normalmente, já que contam com geradores próprios.

"A falha começou aproximadamente às 12h30 (14 horas de Brasília), em uma linha de transmissão principal, tronco do sistema elétrico nacional - o que ocasionou a suspensão do serviço elétrico em boa parte do ocidente e da zona central do país", declarou na televisão estatal o vice-ministro do Desenvolvimento Elétrico, Franco Silva. "Já estamos fazendo manobras para o restabelecimento", disse, afirmando que iria "levar várias horas" para que a luz voltasse.

Segundo Silva, os Estados de Zulia, Lara, Falcón, Táchira, Mérida, Trujillo, Yaracuy, Portuguesa, Cojedes, Aragua e Carabobo, além do Distrito Federal, ficaram sem energia.

Os venezuelanos enfrentam apagões cada vez piores, mas a capital quase nunca é atingida. Políticos da oposição dizem que o governo não investiu o suficiente em energia e que a geração segue a mesma apesar do crescimento da demanda.

Autoridades do governo disseram que o atraso em várias iniciativas com o objetivo de expandir a produção de energia elétrica é o responsável, em parte, pelos apagões, mas também sugeriram que o governo suspeita de sabotagens no sistema. / REUTERS e Agência Estado

Mais conteúdo sobre:
Venezuelaapagão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.