Apagão na Índia afeta 370 milhões de pessoas

A rede elétrica do norte da Índia deixou de funcionar nesta segunda-feira, parando centenas de trens, forçando hospitais e aeroportos a usarem geradores e deixando 370 milhões de pessoas - mais do que a população dos Estados Unidos e Canadá combinadas - sofrendo com o calor do verão.

AE, Agência Estado

30 de julho de 2012 | 09h54

O blecaute, um dos piores a atingir a Índia em uma década, ressalta a incapacidade do país em suprir a demanda de energia enquanto tenta se tornar uma potência econômica regional. A Confederação da Indústria Indiana disse que o apagão é um lembrete de que o governo precisa urgentemente reformar o sistema elétrico, garantir um suprimento contínuo de carvão para as usinas de energia e reformar as instalações elétricas. Perdas na transmissão e distribuição em alguns Estados chegam a até 50% devido à roubos e corrupção.

A rede elétrica caiu por volta das 2h30 da manhã (horário local) pois não conseguia mais suprir a enorme demanda causada pelo verão, disseram autoridades do Estado de Uttar Pradesh. No entanto, o ministro de Energia Sushil Kumar Shinde afirmou que não tinha certeza do porquê do colapso e criou um comitê de investigação.

Foram afetadas as regiões de Punjab, que é celeiro do pais, a instável Caxemira, a capital Nova Délhi, Dharmsala (o quartel-general do Dalai Lama, no Himalai), e o Estado mais populoso do mundo, o pobre Uttar Pradesh.

No final da manhã, 60% da energia foi restabelecida, afirmou o ministro. Foi necessário puxar eletricidade das redes do leste e oeste, bem como comprar energia hidrelétrica do país vizinho Butão.

Os moradores de Nova Délhi foram acordados quando seus ventiladores e ar-condicionados pararam de funcionar. A temperatura na cidade estava em cerca de 35º, com umidade em 89%. O sistema de metrô, que transporta 1,8 milhões de pessoas diariamente, parou por horas durante a manhã.

Shinde quis escapar dos questionamentos criticando outros países, incluindo o Brasil. "Eu peço que vocês olhem a situação em outros países", disse ele. Um terço das residências na Índia não têm eletricidade nem mesmo para acender uma lâmpada, de acordo com o último censo. As informações são da Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
ÍndiablecauteNova Délhi

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.