Aparição de Saddam atrai ódio e admiração no Iraque

Iraquianos viram pela tevê imagens de Saddam Hussein num tribunal. Muitos ficaram preocupados com o efeito delas no país; outros ficaram admirados com o controle que o ex-ditador pareceu exercer no ambiente. Alguns denunciaram o procedimento como uma "propaganda americana", enquanto outros viram um sinal de justiça.Em Ramadi, uma cidade sunita na região central iraquiana cujo apoio ao também sunita Saddam era grande, Odai Faleh afirmou que as pessoas tinham "uma vida melhor na época de Saddam", referindo-se à deteriorada situação de segurança. "Queremos um julgamento justo, no qual Saddam possa falar e se defender contra as acusações fabricadas apresentadas contra ele. Saddam punia apenas pessoas que queriam desestabilizar o país."Em Faluja, bastião da resistência antiamericana a oeste de Bagdá, Ammar Mohammed disse que os Estados Unidos deveriam ser julgados primeiro porque eles "mataram milhares de iraquianos em um ano de ocupação".Em Basra, ver Saddam na tevê apenas reforçou o ódio de alguns pelo líder deposto. O engenheiro Asaad Aziz opinou que Saddam deveria ser executado. Segundos mais tarde, ele elaborou seus comentários. "Antes de tudo, ele deveria ser colocado em uma jaula de metal e exibido por todas as cidades iraquianas para que os milhões de pessoas famintas, roubadas, espancadas, isoladas e torturadas por seu regime pudessem encarar o responsável por seu sofrimento", opinou.

Agencia Estado,

01 de julho de 2004 | 16h26

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.