Apenas 22% dos eleitores votaram no Nepal; monarquistas vencem

Os candidatos apoiados pelo governo do Nepal e os aspirantes independentes ganharam as eleições municipais realizadas na quarta-feira, segundo os primeiros resultados anunciados nesta quinta-feira. Apenas 22% dos eleitores compareceram às urnas, informa a Comissão Eleitoral do Nepal. O motivo foi o boicote promovido pela oposição e a ameaça de violência pela guerrilha maoísta.O regime do rei Gyanendra, que assumiu o poder absoluto há um ano, destacou a legitimidade do pleito, o primeiro realizado no Nepal em sete anos. A oposição, no entanto, qualificou como um "fracasso" as eleições.As eleições aconteceram em apenas 36 dos 58 municípios onde estava prevista a escolha de apenas 618 representantes, dos mais de 4.000 que teoricamente deveriam estar na disputa. Para mais de 2.000 postos não houve um só candidato. Para outros 1.277 havia apenas um candidato, eleito automaticamente.De um total de 72 partidos registrados na Comissão Eleitoral nepalês, só 22 participaram das eleições. Nestas circunstâncias, foram anunciados os primeiros resultados oficiais de 17 municípios, que confirmaram a vitória dos partidos monárquicos, os únicos que se apresentaram às eleições, além dos aspirantes independentes. Não foram anunciados os resultados de Katmandu, esperados para o fim do dia.Apesar das fortes medida de segurança, pelo menos 10 pessoas morreram em diferentes atos de violência. Na quarta-feira em Biratnagar, no leste do país, 137 ativistas filiados à aliança de partidos oposicionistas foram presos, acusados de tentar impedir a realização das eleições locais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.