Charles Dharapak/AP
Charles Dharapak/AP

Apenas 37% dos americanos têm visão favorável a Romney

Apenas dois candidatos desde 1988 foram para a eleição com menos de 50% de popularidade

AE, Agência Estado

03 de agosto de 2012 | 17h25

WASHINGTON - Faltando cerca de três meses para a eleição presidencial norte-americana, Mitt Romney tem de superar um desafio importante: a visão desfavorável que a maioria dos eleitores norte-americanos tem do republicano.

Veja também:

link Obama lidera em três Estados cruciais para eleição, diz pesquisa

link Romney é favorito quando o assunto é economia

Teoricamente, a campanha republicana tem tempo para reverter esta situação com a convenção do partido neste mês e três debates. Mas uma pesquisa do Pew Research Center, com cerca de 2 mil eleitores registrados, mostra os riscos enfrentados por Romney. Ele é visto favoravelmente por 37% desses eleitores, ante 50% que têm uma visão favorável de Obama.

Apenas dois candidatos desde 1988 foram para a eleição de novembro com menos de 50% de popularidade: George H.W. Bush em 1992 e Robert Dole em 1996. Ambos eram vistos favoravelmente por 43% dos eleitores. E os dois perderam as eleições.

A pesquisa foi realizada antes da viagem ao exterior de Romney, encerrada na terça-feira e mostrou sentimentos negativos em relação aos dois candidatos: cerca de 45% têm uma perspectiva negativa do presidente Barack Obama e 52% têm uma visão desfavorável de Romney. Na disputa direta, a pesquisa mostrou que Obama está à frente de Romney, por 51% a 41%, graças, em grande parte, ao apoio feminino.

Segundo os pesquisadores, permanece uma "questão em aberto": se os dois candidatos conseguirão usar os próximos três meses para melhorar suas imagens pessoais, façanha que poucos candidatos alcançaram.

Dos 12 candidatos que participaram das últimas seis eleições, apenas três - Obama em 2008, George W. Bush em 2004, e seu pai em 1988 - conseguiram melhorar suas imagens entre julho e outubro.

Com Dow Jones

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.