Apesar da greve, ano novo reúne 200 mil em Londres

Cerca de 200 mil pessoas celebraram a chegada do Ano Novo nas ruas da capital britânica, 50 mil a mais que no ano passado, apesar da greve de 24 horas do metrô de Londres, informou hoje a Polícia. Apenas 31 das 275 estações do metrô londrino permaneceram fechadas em conseqüência da greve convocada pelos trabalhadores. A noite transcorreu "sem aglomerações", ainda segundo a polícia. O metrô permaneceu aberto de forma gratuita das 23h45 (21h45 de Brasília) de 31 de dezembro até as 4h30 (2h30 de Brasília) de 1º de janeiro. Dezenas de milhares de pessoas se reuniram na emblemática Trafalgar Square e em outros lugares centrais de Londres para saudar 2006 e contemplar o espetáculo pirotécnico que iluminou o céu da capital britânica a partir da meia-noite. O prefeito da capital, Ken Livingstone, destacou que os londrinos mostraram em 2005 "suas melhores qualidades, ao serem capazes de permanecer unidos, resistir e recompor-se" dos atentados terroristas de 7 de julho, nos quais morreram 56 pessoas, entre elas os quatro terroristas suicidas. Cerca de 2.600 policiais ficaram em alerta na capital britânica para velar pela segurança durante a noite de Ano Novo. À meia-noite e meia (22h30 de Brasília) haviam sido registradas 32 detenções por desordens relacionadas principalmente ao consumo excessivo de álcool, disse um porta-voz da Polícia Metropolitana. O telefone de emergências, o 999, registrou 1.444 chamadas entre a meia-noite e as 4h, 25% mais que no ano passado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.