Reprodução
Reprodução

Apesar da intensidade, terremoto de 7,3 graus não causa danos no norte do Japão

Tremor teve hipocentro próximo à ilha russa de Sakhalin, no Mar de Ojotsk

Agência EFE,

14 de agosto de 2012 | 02h18

TÓQUIO - Apesar da intensidade, um terremoto de magnitude 7,3 graus na escala Richter não teria causados danos significativos no norte do Japão e no leste da Rússia. O tremor teve hipocentro próximo à ilha russa de Sakhalin, no Mar de Ojotsk, 158 quilômetros ao nordeste da cidade russa de Poronaysk, no norte do Japão, a 590 quilômetros de profundidade, afetou a zona setentrional do país sem causar danos e sem ativar o alerta de tsunami, segundo a Agência Meteorológica do Japão.

 

O terremoto foi sentido com uma intensidade de 3 na escala fechada japonesa (com máximo de 7) em várias parte das províncias de Hokkaido, Aomori e Iwate, mas a imprensa local não informou danos em nenhuma delas. Nenhuma das usinas nucleares na zona, incluída a de Fukushima Daiichi, registrou problemas em razão ao sismo. O terremoto não afetou o serviço de trem-bala nem produziu interrupções nas estradas ou nas provisões de água e eletricidade.

 

Outras regiões no norte do país, como Hakodate e Kushiro, em Hokkaido, Hachinohe, em Aomori, e Morioka, a capital de Iwate, sentiram o tremor com grau 3 na escala japonesa, que se centra mais nas zonas afetadas do que na intensidade. Estações de medição nas províncias de Ibaraki, Saitama, Yamagata, Miyagi e Akita registraram um máximo de 2.

 

Na província de Fukushima, que junto a Miyagi e Iwate esteve entre as mais afetadas pelo terremoto e o tsunami de março de 2011, só registrou grau 1.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.