REUTERS/Yuri Maltsev
REUTERS/Yuri Maltsev

Apesar de sanções, Coreia do Norte exportou carvão através da Rússia

Fontes do setor de inteligência da Europa ocidental ouvidas pela agência 'Reuters' afirmaram que portos de Nakhodka e Kholmsk foram usados para descarga em docas e recolocação da commodity em navios que seguiram para Coreia do Sul ou Japão

O Estado de S.Paulo

26 Janeiro 2018 | 10h30

MOSCOU - A Coreia do Norte embarcou carvão para a Rússia no ano passado, que foi então entregue para a Coreia do Sul e para o Japão, em uma possível violação de sanções da Organização das Nações Unidas (ONU), disseram três fontes do setor de inteligência da Europa ocidental à agência Reuters.

Trump acusa a Rússia de ajudar a Coreia do Norte a burlar sanções

O Conselho de Segurança da ONU proibiu exportações de carvão da Coreia do Norte em 5 de agosto sob sanções com o objetivo de cortar uma importante fonte de capital estrangeiro que Pyongyang precisa para financiar seus programas de armas nucleares e de mísseis de longo alcance.

Mas o recluso Estado comunista embarcou carvão ao menos três vezes desde então para os portos russos de Nakhodka e Kholmsk, onde o carvão foi descarregado em docas e recolocado em navios que seguiram para a Coreia do Sul ou Japão, disseram as fontes.

Uma fonte ocidental da área de transportes disse separadamente que algumas das cargas chegaram ao Japão e à Coreia do Sul em outubro de 2017. Uma fonte da segurança dos Estados Unidos também confirmou o comércio de carvão via Rússia e disse que isso continua.

China paralisou exportações de petróleo para Coreia do Norte em novembro

“O porto russo de Nakhodka está se tornando um centro de envio para o carvão norte-coreano”, disse uma das fontes da segurança da Europa, que pediu anonimato por conta da sensibilidade de diplomacia internacional em torno da Coreia do Norte.

O porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov, afirmou que a Rússia obedece às normas de leis internacionais. "A Rússia é um membro responsável da comunidade internacional", disse Peskov em uma teleconferência com jornalistas.

Mais cedo, a embaixada russa na Coreia do Norte havia negado relatos de que a Rússia reenviou carvão norte-coreano apesar de sanções da ONU, relatou nesta sexta-feira, 26, a agência de notícias Interfax.

“Esta informação é falsa”, disse uma autoridade da embaixada, segundo a Interfax. “A Rússia não compra carvão da Coreia do Norte e não é um ponto de trânsito para entregas de carvão para terceiros países”, disse, de acordo com a agência.

ONU corta em 90% combustível vendido à Coreia do Norte

Dois advogados especializados em sanções disseram que as transações aparentam violar as sanções da ONU. 

A Reuters não pôde verificar de forma independente se o carvão descarregado em portos russas é o mesmo carvão que foi então enviado para a Coreia do Sul e o Japão. A agência também não pôde averiguar se os donos dos navios que seguiram da Rússia para a Coreia do Sul e para o Japão sabiam da origem do carvão.

O Departamento do Tesouro dos EUA colocou na quarta-feira o dono de um dos navios, o UAL Ji Bong 6, sob sanções por entregar carvão norte-coreano para Kholmsk em 5 de setembro. / REUTERS

Mais conteúdo sobre:
Coreia do Norte [Ásia] Carvão

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.