REUTERS/Evelyn Hockstein
REUTERS/Evelyn Hockstein

Apoiadores de Trump e líderes republicanos ameaçam a democracia, diz Liz Cheney

Deputada criticou o próprio partido no plenário da Câmara na véspera de votação que deve tirá-la do cargo

Redação, O Estado de S.Paulo

12 de maio de 2021 | 00h08

WASHINGTON - A deputada republicana Liz Cheney atacou o ex-presidente Donald Trump e os líderes do próprio partido nesta terça-feira, 11, afirmando que eles ameaçam a democracia, na véspera da votação que deve retirá-la do cargo de liderança que exerce.

Em uma aparição noturna repentinamente anunciada, Cheney discursou para uma Câmara quase vazia. Em quatro minutos, afirmou não ter intenção de recuar em sua batalha contra o ex-presidente, mesmo que isso comprometa sua outrora promissora carreira política. "Permanecer em silêncio e ignorar a mentira encoraja o mentiroso", disse ela, acrescentando: "Não vou sentar e assistir em silêncio enquanto outros conduzem nosso partido por um caminho que abandona o Estado de Direito e se junta à cruzada do ex-presidente para minar nossa democracia."

Nesta quarta-feira, os deputados do Partido Republicano devem destituir Liz Cheney, que atualmente preside a Conferência Republicana na Câmara dos Deputados, de seu cargo. Esta é a terceira cadeira mais importante da bancada.

Cheney enfrenta a ameaça de ser demitida há meses, desde quando rejeitou publicamente a falsa alegação de Trump de que as eleições de novembro do ano passado foram fraudadas. Ela também responsabilizou plublicamente e insistentemente o ex-presidente por incitar apoiadores que invadiram o Capitólio em 6 de janeiro, em um ataque que resultou em cinco mortes, mesmo quando outros republicanos tentaram minimizar o ataque.

A postura irritou muitos republicanos que dizem que, como a terceira líder do partido na Câmara, ela deveria se concentrar em mensagens que ajudariam o partido a ganhar o controle da Câmara nas eleições do próximo ano, e não nas divisões internas sobre o ex-presidente. Cheney deve ser substituída pela deputada Elise Stefanik, conhecida por sua lealdade à Trump.

"Milhões de americanos foram enganados pelo ex-presidente", disse Cheney. "Eles ouviram apenas suas palavras, mas não a verdade enquanto ele continua a minar nosso processo democrático, semeando dúvidas sobre se a democracia realmente funciona."

Cheney é filha do ex-vice-presidente Dick Cheney. Por sua carreira, é considerada uma figura conservadora da "velha escola" do Partido Republicano. Cheney criticou Trump algumas vezes durante sua presidência, mas o relacionamento piorou após ela se tornar uma dos 10 republicanos da Câmara que votaram a favor do processo de impeachment de Trump pela invasão do Capitólio. /AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.