Apoio a guerra no Iraque depende das inspeções, diz pesquisa

A maioria esmagadora dos americanos - 91% - diz não acreditar que o Iraque tenha entregado uma relação completa de suas supostas armas de destruição em massa no informe para as Nações Unidas, segundo uma nova pesquisa. Mas o público dos EUA quer que Washington seja paciente: a pesquisa CNN-USA Today-Gallup divulgada na quarta-feira à noite quer que os EUA aguardem pelo relatório dos inspetores da ONU sobre possíveis evidências sobre esse tipo de armas, antes de decidirem invadir o Iraque.A pesquisa indica a existência de dúvidas sobre se os inspetores da ONU serão capazes de detectar armas que o Iraque supostamente teria. Sete em cada 10 pessoas disseram que os EUA precisam apresentar publicamente qualquer evidência de que o Iraque detenha capacidade de destruição maciça. A sondagem comprova a existência de sentimentos dúbios dos americanos a respeito de uma ação bélica contra o Iraque. Quando simplesmente perguntados se seu país deveria invadir o Iraque para remover do poder o presidente Saddam Hussein, 55% deles responderam "sim", contra os 39% que responderam "não". Mas tanto os que apóiam quanto os que se opõem a um ataque não estão firmes em suas convicções. Dois terços de cada um desses grupos disseram que sua posição vai depender do que ocorrer no Iraque nas próximas semanas. Quando perguntados sobre se os EUA já fizeram tudo o que podiam para resolver o problema por vias diplomáticas, 52% responderam que sim contra 44% que responderam que não. Oito em cada 10 disseram que a única maneira de desarmar o Iraque é removendo Saddam Hussein do poder. A consulta ouviu 1.009 adultos entre os dias 9 e 10 de dezembro e tem uma margem de erro de 3 pontos porcentuais, para mais ou para menos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.