Apoio a premiê japonês cai para menos de 20 por cento

O apoio ao primeiro-ministro japonês, Taro Aso, caiu para 16,7 por cento, mostrou uma pesquisa da agência de notícias Jiji na sexta-feira. Em meio às gafes, o premiê se esforça para reanimar a economia do país, atingida pela recessão. O número é 22,1 pontos menor do que o mostrado numa pesquisa feita no mês passado, segundo a agência, e o pior desempenho de Aso até agora. Aso está batalhando para manter o controle sobre a coalizão governista em meio à redução do crédito e a onda de falências e demissões. Mas analistas dizem que Aso pode continuar no poder por causa da falta de candidatos alternativos em seu partido, o Partido Liberal Democrático. Os dois predecessores de Aso, Shinzo Abe e Yasuo Fukuda, renunciaram depois de apenas um ano no gabinete, pois o apoio a eles despencou enquanto eles tentavam lidar com a oposição ferrenha em um Parlamento dividido. "Sob circunstâncias normais, as últimas avaliações levariam a uma mudança na liderança", disse Tomoaki Iwai, professor de ciência política na universidade de Nihon. "Mas a questão é: quem vai assumir? E será que o partido aguenta outra troca de líder? Isso não vai pegar bem com o público". Aso, nacionalista extrovertido e fã de mangás, foi escolhido em setembro para encantar os eleitores antes das eleições para a câmara baixa, marcada para setembro de 2009.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.