Apoio ao Kadima sob a liderança de Olmert cai

Sob a liderança do primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, o apoio ao partido Kadima tem caído de forma notável, apontou uma pesquisa publicada nesta sexta-feira pelo jornal israelense "Ha´aretz". Os resultados mostraram que, se as eleições fossem realizadas hoje, a legenda perderia cerca de dois terços de suas cadeiras.A pesquisa revela que o Kadima só obteria 12 das 120 cadeiras do Parlamento, contra as 28 obtidas nas eleições gerais realizadas em março de 2006.Já o partido opositor de direita Likud, liderado pelo ex-primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, obteria 29 cadeiras caso aseleições fossem realizadas hoje.O estudo também mostra que apenas 20% dos que votaram no Kadima nas últimas eleições fariam o mesmo hoje em dia, enquanto dois terços dos eleitores que votaram no Likud voltariam a fazê-lo.Ao serem perguntados sobre qual seria o candidato ideal paraliderar o Ministério da Defesa, atualmente ocupado pelo lídertrabalhista Amir Peretz, os entrevistados citaram o deputado ealmirante na reserva Ami Ayalon.A popularidade de Olmert e Peretz continua caindo. O primeiro-ministro tem um índice de popularidade de 14%, seis pontosporcentuais a menos que na última pesquisa, enquanto o ministro da Defesa perdeu quatro pontos e tem agora um apoio de 10%.Só a ministra de Assuntos Exteriores, Tzipi Livni, continua tendoum grande apoio da população, com 51% de popularidade.Caso Livni apresente sua candidatura a primeira-ministra, Olmert sairia perdendo, pois ela lhe tiraria o cargo.A pesquisa, elaborada pelo Instituto Dialog esta semana, foi feita com uma amostra de 500 pessoas e apresenta margem de erro de 4,9%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.