Apoio ao primeiro-ministro japonês cai para 36%

De acordo pesquisa, mais da metade dos japoneses não quer que Naoto Kan deixe o cargo

Efe

13 de julho de 2010 | 09h53

TÓQUIO - O respaldo ao primeiro-ministro japonês, Naoto Kan, caiu até quase 36% apenas um mês depois que ele assumiu o poder com apoio de mais de 60%, segundo uma pesquisa divulgada nesta terça-feira pela agência local "Kyodo".

 

A queda da popularidade de Kan se refletiu no baque que sofreu o governante Partido Democrático (PD) do Japão nas eleições parciais ao Senado deste domingo, nas quais perdeu dez cadeiras.

 

Segundo a "Kyodo", 52% dos entrevistados desaprovam abertamente a gestão do primeiro-ministro, de 63 anos, que jurou seu cargo em 8 de junho em substituição de Yukio Hatoyama, quem renunciou justamente pela forte queda de sua popularidade.

 

A pesquisa, realizada na segunda e na terça-feira, mostra, no entanto, que mais da metade da população, 52,5%, acredita que Kan não deve deixar seu posto apesar da complexa situação política após as eleições.

 

A perda da maioria na Câmara Alta obriga o PD a buscar novas alianças se quiser manter o controle do plenário.

 

Embora tenha maioria absoluta na Câmara Baixa, perder o controle do Senado faria desacelerar seriamente a aprovação de algumas leis fundamentais, entre elas as relacionadas com a ambiciosa reforma tributária projetada por Naoto Kan.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.