Apoio de EUA a Israel impede ação da ONU, diz embaixador palestino

O maior obstáculo para uma ação das Nações Unidas (ONU) para frear a violência no Oriente Médio é o apoio dos Estados Unidos à Israel. A acusação é do representante da Palestina na ONU, Nabil Ramlawi, que em entrevista à Agência Estado, garante que Yasser Arafat tem o apoio da comunidade internacional em sua luta por um Estado palestino.Ramlawi, um dos principais articuladores da causa palestina no mundo, acusa o Conselho de Segurança da ONU de estar sendo dominado pelos interesses dos Estados Unidos, o que não está permitindo que as decisões sejam tomadas contra Israel. "A vontade internacional está sendo parada pelos Estados Unidos e isso não é justo", afirmou o palestino.Na segunda-feira, o Conselho de Segurança aprovou uma resolução pedindo um cessar-fogo por parte das duas partes no conflito. Mas o principal órgão da ONU não condenou as ações de Israel e sequer conseguiu aprovar uma resolução que determinasse a retirada das tropas israelenses dos territorios ocupados."A Casa Branca se move por interesses, mesmo que isso signifique a violação de direitos humanos básicos", afirma Ramlawi, que conversou pela última vez com Arafat na sexta-feira por telefone. "Desde então estou tentando um contato, mas a situação é complicada", explicou.A alternativa para os defensores da autodeterminação para o povo palestino seria uma ação dos países europeus. Mesmo assim, Ramlawi reconhece que a União Européia (UE) não pode agir sem o apoio dos Estados Unidos. "Mesmo com todas as limitações, nossa estratégia é a de conseguir um amplo apoio internacional", completou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.