Após 100 dias no poder, popularidade de Hollande cai

Análise: Andrei Netto

O Estado de S.Paulo

15 de agosto de 2012 | 03h04

O governo de François Hollande completou ontem cem dias em queda de popularidade e sob críticas duras da oposição a respeito de sua suposta apatia quanto à guerra civil na Síria. De acordo com pesquisas, o índice de aprovação do presidente começa a cair, mas de maneira limitada. A principal preocupação da opinião pública é a percepção de que o presidente pode não ser capaz de impedir o contágio da França pela crise econômica e tirar a Europa do buraco.

Segundo sondagem do instituto Ifop, 54% dos franceses estão descontentes com o socialista, enquanto 46% se dizem satisfeitos. Apenas 40% acreditam que seu governo encontrará soluções para a crise da zona do euro. Em contrapartida, 57% entendem que Hollande está cumprindo as promessas de campanha e 65% apoiam projetos do Partido Socialista, como a legalização do casamento gay. Em 2007, em pesquisa realizada por outro instituto, o CSA, Nicolas Sarkozy tinha 61% de aprovação.

O fim da lua de mel com Hollande tem a ver com as críticas da oposição em relação à guerra na Síria. Semana passada, Sarkozy criticou a inação do governo, cobrando uma intervenção militar. Ele ainda se colocou como exemplo, afirmando que a França desempenhou um papel intenso na Líbia, em 2011. Hollande interrompeu suas férias no interior do país para prestar homenagem a um soldado francês morto no Afeganistão, mas as críticas não cessaram. "Não há estado de graça, mas um estado de gravidade desde o início de seu governo", disse Stéphane Rozès, presidente da consultoria Conselhos, Análises e Perspectivas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.