Após 16 anos preso, dissidente é libertado na China

Hu não terá direitos políticos por 5 anos, o que inclui liberdade de expressão, de reunião e de associação

Associated Press,

27 de agosto de 2008 | 02h18

Um veterano defensor da democracia foi libertado pelas autoridades chinesas, depois de ter cumprido 16 anos de prisão, de acordo com um grupo de direitos humanos. Hu Shigen, 53 anos, continua sem direitos políticos por 5 anos. Hu foi solto nesta terça-feira, 26, após ter cumprido grande parte de sua pena de 20 anos por ter sido condenado por 'incitar e fazer propaganda de uma contra-revolução', disse o grupo de direitos humanos. Hu, um professor universitário do Instituto de Línguas de Pequim, ajudou na criação de um partido político e de um sindicato independente. Ele também foi ativo no planejamento de atividades para lembrar as vítimas da repressão militar na Praça da Paz em 1989, quando centenas de pessoas foram mortas. Hu foi preso em 1992 e condenado em 1994. "Nós recebemos a informação da libertação de Hu Shigen, mas é trágico que ele tenha sofrido por tantos anos com o abuso, problemas grave de saúde e condições ruins", disse o diretor executivo Sharon Hom do grupo de direitos humanos na China. Hu continuará sem direitos políticos por 5 anos, o que inclui não ter liberdade de expressão, de reunião e de associação.

Tudo o que sabemos sobre:
Chinadissidenteliberdade

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.